O fim de semana do descanso

autor Gilmar Correa

Postado em 02/06/2018 11:25:42 - 11:16:00


Nem tudo é dinheiro no bolso ou cartão de crédito sem limite para gastos/Arquivo/Chega de Livros?

Não busquemos milagres ou facilidades. Creio que a ação está ligada exatamente ao que fizemos

 

A semana termina com um saldo de cansaço. A greve dos caminhoneiros tirou o sono de muita gente e animou outro bocado. O sábado é de avaliar, de fazer o rescaldo e de ficar de olho nas bombas de combustíveis.

O abastecimento é precário, mas informa-se que tudo voltará ao normal nos próximos 15 dias. É preciso um pouco de descanso, porque a próxima semana não será diferente com sobressaltos num país conflagrado por ideias e opiniões.

Infelizmente, a rede da mentira não para. Até na Alemanha essa praga é real. Último exemplo: a notícia de que animais selvagens teriam escapado de zoológico durante tempestade causa apreensão entre moradores da região do Eifel. Mas eles não deixaram o local. Somente um urso que fugiu do cercado foi abatido.

Há muita coisa interessante acontecendo no Brasil, pois nem tudo é só desgraça. Há muita gente boa que pesquisa, realiza e transmite. É preciso levar isso em conta quando fazemos uma pausa neste final de semana para o descanso sagrado.

Minha pequena contribuição é sugerir a leitura de livros e nesta linha aponto “A décima terceira história”, de Diane Stterfield. É uma publicação que já tem mais de dez anos, mas contribui para passar o tempo a partir de um texto robusto e profundo. Para quem sofre as agruras das finanças aos frangalhos, como eu, a leitura sempre é bem-vinda.

A falta de dinheiro faz com que a gente se adapte ao tempo e às dificuldades. Andar, correr, pedalar, sentar na praça ou brincar com o cachorro ou com os filhos é um programa interessante e sadio, pois nem tudo na vida se faz com a grana no bolso ou com um cartão de crédito sem limite. É preciso ter um olhar otimista, menos consumista, sobre seu círculo, mesmo quando o que se passa ao seu redor pareça ser negativo e frustrante.

Não busquemos milagres ou facilidades. Creio que a ação está ligada exatamente ao que fizemos individualmente, sem passar responsabilidades adiante.

Precisamos nos sentir bem, sem muita pressa, como descreveu o personagem do livro de Diane Stterfield: “Do lado de fora, um azul radiante, sem nuvens, estendia-se por todo o horizonte ...era como se meses longos e dias encobertos a luz tivesse acumulado por trás das nuvens, e agora, que as nuvens haviam ido embora, nada pudesse impedi-la de jorrar, encharcando-nos de claridade por pelo menos duas semanas...”

 


Guga Kuerten diz que cortar dinheiro do esporte das crianças é ato de desespero
Forró e festa junina no gabinete do vice-presidente da Câmara
veja +
Comissão aprova criação de creches para filhos de agentes de segurança pública
Especialistas sugerem contratação de mais aprendizes pelo poder público
Aplicativo Sine Fácil ajuda 2,7 desempregados no Distrito Federal
veja +