Fracassa reunião para acabar com ocupação na UnB

autor Misto Brasília

Postado em 16/04/2018 19:10:23 - 19:05:00


Manifestação de servidores e estudantes em favor da Universidade de Brasília/Reprodução/Facebook

Representantes não chegaram a um acordo para a crise e a reitoria mantém os cortes

A ocupação na Universidade de Brasília (UnB) vai continuar até a próxima quinta-feira (19), quando haverá uma segunda reunião para debater a crise financeira na instituição. Na reunião de hoje representantes da reitoria, do Ministério da Educação e da Câmara dos Deputados não se chegou a nenhum acordo. O prédio da reitoria da UnB foi ocupada na última quinta-feira.

Os estudantes querem uma mesa redonda para que se encontre uma solução sem os cortes nos gastos como anunciado pela reitora Márcia Abrahão Moura. Em conversa hoje com a imprensa, ela disse que não volta atrás nas suas decisões. O MEC não confirmou presença na quinta-feira, pois informou que a UnB teria recursos suficientes para manter a máquina administrativa até o fim do ano.

Em nota no Facebook (Ocupa Unb), os estudantes informaram há cerca de uma hora que “diante de tudo isso, o movimento estudantil autônomo que está na ocupação da reitoria reiterou as pautas pela qual a ocupação luta que são: manutenção dos programas de estágio remunerado; contra o aumento do restaurante universitário (RU); a liberação, por parte do MEC, dos editais de ingresso de indígenas e quilombolas, bem como pela manutenção das bolsas de permanência estudantil; disponibilização das informações acerca do custeio da UnB, em especial os contratos com as empresas terceirizadas, de forma transparente pela reitoria; Além da necessidade de uma reunião institucional entre os estudantes, o MEC e a Reitoria da UnB. Não se tratando, de uma auditoria, mas sim de uma Audiência Pública para exigir o posicionamento oficial das partes envolvidas”.


Vídeo alerta para as desigualdades e convida para a reforma solidária
Sindicatos de fiscais de tributos preparam proposta para reforma tributária
veja +
Relatório da MP da privatização da Eletrobras será votado dia 8 de maio
Placas do Mercosul serão obrigatórias apenas para veículos novos e transferidos
Câmara analisa limites da legítima defesa
veja +