Três perguntas para uma crise

autor André Pereira Cesar

Postado em 07/03/2018 10:00:17 - 09:51:00


Situação da crise terá impacto sobre o processo sucessório/Arquivo/Agência Senado

No âmbito da oposição, o dilema é claro com Lula e no governo o quadro é igualmente dramático

Após algumas semanas de relativa normalidade, o quadro político volta a sofrer novas turbulências. No plural. governo e oposição enfrentam, simultaneamente, graves problemas. Também o Judiciário se vê envolvido em grave questão, com o vazamento de informações do Supremo Tribunal Federal.

Tudo isso, é claro, terá impacto sobre o processo sucessório. As eleições de outubro próximo, já carregadas de incertezas, ganham novos e dramáticos elementos.

No âmbito da oposição, o dilema é claro - como sobreviverá o PT ao afastamento do ex-presidente Lula da disputa? A nova derrota do petista, dessa vez no Superior Tribunal de Justiça, praticamente sepulta as esperanças de ele participar do pleito. A situação mostra o quanto o partido depende ainda de Lula, e um eventual plano B parece de difícil montagem. Os nomes à disposição têm limitações políticas e reduzida viabilidade eleitoral. Não por acaso, tradicionais aliados do PT, como o PCdoB, já se movimentam em torno de candidaturas próprias. Os petistas enfrentam talvez a maior crise da história da legenda.

No governo, o quadro é igualmente dramático. Conseguirá o presidente Temer superar a nova onda de forte pressão sobre ele, agora com a quebra de seu sigilo bancário no caso referente aos portos? Nem mesmo a intervenção na segurança pública do Rio de Janeiro parece dar força política ao presidente - a pesquisa CNT/MDA recém-divulgada mostra que a população aprovou a medida, mas Temer segue com baixíssimos índices de popularidade. O projeto de reeleição pode morrer no nascedouro, e aliados começam a de afastar (Rodrigo Maia já se mexe).

Por fim, o Judiciário vive nova turbulência com a divulgação do vazamento de informações referentes ao processo relatado pelo ministro Barroso no caso Temer. O Supremo Tribunal Federal já determinou a apuração do caso, que pode ter desdobramentos de toda ordem e se tornar uma crise de graves proporções. No momento, a especulação é grande.

O país vive um momento no qual a normalidade político-institucional está longe de ser uma realidade. O mundo político está sob forte pressão e o contexto estimula a aparição de todo o tipo de aventureiro. Com uma população sem esperanças e vivendo ainda com elevados índices de desemprego, deve-se tomar cuidado para que não se perca o controle sobre o processo. A democracia assim o exige.


Tite cai na comemoração do gol de Philipe Coutinho e vira meme na internet
AO VIVO - II Congresso de Direito Eleitoral de Brasília
veja +
Bolsa Família atende 74.122 famílias do Distrito Federal em junho
Distrito Federal recebe R$ 28 milhões do salário-educação de maio
Aprovada reserva de vagas em universidades públicas para alunos bolsistas de escolas beneficentes
veja +