O efeito da condenação de Lula

autor Gilmar Correa

Postado em 24/01/2018 18:29:41 - 18:24:00


Lula da Silva perde força política com a confirmação da condenação/Divulgação

Políticos começam a refazer as contas, pois o ex-presidente virou um “ficha suja” para as eleições

A bolsa de valores marcou mais um recorde nesta tarde ao chegar a 83,6 mil pontos. Foi o efeito da rejeição do recurso da defesa do ex-presidente Lula da Silva. É verdade que o Ibovespa vem apresentando pontuações históricas nos últimos dias, mas o julgamento no Tribunal Regional Federal da 4ª Região, em Porto Alegre, turbinou as negociações do mercado que já previa uma derrota por 2 a 1 ou mesmo 3 a zero, como aconteceu.

O mercado e muitos especialistas só não imaginavam que a pena do ex-presidente - que fez um discurso atacando segmentos da sociedade na noite que antecedeu ao julgamento -, seria potencializada em mais três anos. Depois de quase dez horas de julgamento, os três desembargadores concordaram, por unanimidade, aumentar a pena de Lula da Silva a 12 anos e um mês.

Não foi a primeira vez que a 8ª. Vara Criminal Federal reformulou para mais as sentenças do juiz federal Sérgio Moro, de Curitiba. Pelo histórico apresentado em mais de duas dezenas de julgamentos, os réus receberam a notícia de que o tempo a ser cumprido na cadeia ou em liberdade seria maior.

A condenação de Lula da Silva, que passa a ser um “ficha suja”, não terá apenas a consequência nos números positivos da bolsa de valores.

A partir desta noite, muitos cálculos começam a ser feitos para as eleições de outubro à Presidência da República e para os demais cargos em disputa nos estados, como para governador. Lula como candidato é uma coisa e sem estar no embate direto a realidade é outra. O maior líder político e populista desde Getúlio Vargas terá, seguramente, um peso menor no pleito geral.

E, por consequência, as alianças passam a ter uma outra direção e mesmo adversários do PT, como o deputado Jair Bolsonaro, vão sofrer as consequências - como analisa o cientista político e colaborador do Misto Brasília, André Pereira César. Sem Lula, o discurso contrário de Bolsonaro perde valor. Assim, abre-se a oportunidade para novos candidatos e outras ideias na disputa pelos votos.

Nesta tarde, ainda com o julgamento do TRF4 acontecendo, o senador Cristovam Buarque (PPS-DF) questionava o que poderia acontecer com o país com a ratificação da condenação de Lula da Silva. Internautas responderam ao senador que o país poderia ser passado a limpo, assim como a política partidária e seus jogadores dispensados sem muita cerimônia.

Ainda é cedo para prever acontecimentos, mas o que está pontuado é o enfraquecimento do discurso do PT, que vive uma divergência entre alas moderadas e agressivas, como a da presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann (PR). Agora, é acompanhar se as suas ameaças de “matar ou morrer” – expressas na rede social – terão alguma consequência.


Guga Kuerten diz que cortar dinheiro do esporte das crianças é ato de desespero
Forró e festa junina no gabinete do vice-presidente da Câmara
veja +
Comissão aprova criação de creches para filhos de agentes de segurança pública
Especialistas sugerem contratação de mais aprendizes pelo poder público
Aplicativo Sine Fácil ajuda 2,7 desempregados no Distrito Federal
veja +