Lixão da Estrutural e o lixo não reciclado

autor Vitória Colvara

Postado em 23/01/2018 12:29:16 - 12:22:00


Exposição do SLU em novembro/2017 mostrou a importância de reciclar o lixo/Gabriel Jabur/Ag Brasília

Quantas pessoas, efetivamente, demonstram qualquer preocupação com a destinação final dos resíduos

Com o intuito de poupá-los do desprazer de ler notícias repetidas e maçantes, não vou me ater ao fechamento do lixão em si, fato que estampou as manchetes dos jornais e virou notícia na internet numa velocidade incrível. Tampouco irei tratar de planos futuros, pois a experiência no ramo ambiental já me fez perder um pouco as esperanças.

Do mesmo modo que já era previsto na Política Nacional de Resíduos Sólidos, que até 2012 não teríamos no Brasil mais nenhum lixão a céu aberto, essas tais promessas de melhorias imediatas em 2018 não passam de marketing político eleitoral.

A situação é bem mais complexa, e por incrível que pareça, dessa vez, a culpa, não poderá ser atribuída somente aos governantes e aos gestores públicos.

Quantos de nós, cidadãos médios, reciclamos diariamente o nosso lixo? Quantas pessoas, no seu ciclo de amigos, efetivamente, demonstram qualquer preocupação com a destinação final dos resíduos? E as incontáveis embalagens plásticas que fazemos questão de desperdiçar sem dó nem piedade?

Pois bem, o que quero dizer é que enquanto não houver uma tomada de consciência generalizada, de nada vai adiantar a adoção de medidas pontuais que sequer deveriam ser louvadas pela população, haja vista a extrapolação de todos os prazos previstos em lei promulgada lá no ano de 2010.  

Enchemos a boca para falar mal dos políticos, mas mesmo num condomínio com coleta seletiva, continuamos misturando tudo. Passamos vergonha na frente dos pequenos, da tão falada futura geração, que já tem mostrado a que veio e que já sabe, muito bem a diferença entre resíduos e rejeitos e que água e óleo, definitivamente, não se misturam.

Temos o dever constitucional de proteger o meio ambiente, enquanto cidadãos. Ao invés de olhar o Lixão da Estrutural através da televisão, deveríamos nos enxergar enquanto parte daquilo tudo.

O lixo é nosso, o desperdício é nosso. E os catadores - guerreiros como são - poderiam ter uma vida mais digna sem depender do estado, isso se cada um de nós tivéssemos pelo menos a decência de saber separar nosso próprio lixo. 


Fundo Partidário vai definir força das coligações, diz deputado
Bandidos ateiam fogo em ônibus em Florianópolis
veja +
Maia esteve com General Villas Boas para falar sobre intervenção
Comissão quer maior controle sobre importação de produtos agrícolas
Projetos que podem render recursos imediatos para o governo
veja +