Perfil - Álvaro Dias

autor André Pereira Cesar

Postado em 18/12/2017 07:24:11 - 07:11:00


Senado Álvaro Dias é pré-candidato do Podemos à Presidência do Brasil/Divulgação

Será o mais experiente candidato na disputa. Iniciou sua carreira política no MDB (embrião do PMDB)

Os candidatos novatos, como João Amoêdo e Guilherme Boulos, terão a companhia de veteranos nas eleições presidenciais de 2018. Entre os medalhões da política brasileira que participarão do pleito está o senador Álvaro Dias. Um dos mais conhecidos e atuantes parlamentares da região Sul do país, ele concorrerá pelo Podemos (antigo PTN).

Nascido em dezembro de 1944 no município de Quatá, interior de São Paulo, Álvaro Dias é formado em História. Cedo mudou-se para Maringá (PR), onde chegou a trabalhar como radialista. Apesar de sua formação acadêmica, o pré-candidato dedicou sua vida adulta exclusivamente à política.

Olhando-se o histórico do senador, é fácil chegar à conclusão de que ele será o mais experiente candidato na disputa. Iniciou sua carreira política no MDB (embrião do PMDB) em 1968 e passou por mais cinco partidos, inclusive o PSDB, até ingressar no Podemos em 2017. Cargos públicos, ocupou diversos. Foi vereador em Londrina (PR), deputado estadual, deputado federal, governador e senador pelo Paraná. Ele tentará transplantar essa experiência para a campanha presidencial.

A longa trajetória política de Dias, é claro, deixou rastros polêmicos. De um lado, seus defensores e aliados lembram de sua importante participação na campanha pelas Diretas-Já, em 1984, e o posicionamento firme contrário a questões como a reforma trabalhista. Seus adversários e desafetos, por sua vez, citam a "facilidade" com que muda de partido e o comportamento dúbio em diferentes momentos dos governos FHC (do qual era aliado) e Lula (ao qual se opunha). Um fato, porém, é inegável. O senador é dos parlamentares de mais fácil trato no dia a dia do Congresso Nacional.

O Podemos sintetiza o pensamento e a ação de Álvaro Dias. Inspirado em seu homônimo espanhol, o partido coloca-se no centro do espectro político-ideológico brasileiro. Os três princípios básicos do partido são "transparência", "participação popular" e "mais democracia direta".

A ideia básica é reforçar a democracia partidária, pela qual a agremiação não terá "donos". Uma das estrelas do time, por sinal, é o senador Romário, que recentemente se aproximou de Dias. Amplas coligações também estão descartadas.

O programa econômico do Podemos ainda não é totalmente claro. A reforma previdenciária está em sua agenda, assim como a administrativa, mas sem detalhes. Dados os recentes posicionamentos de seu pré-candidato e apoiadores, pode-se apontar para um modelo menos ortodoxo em comparação ao governo Temer.

Munição para seus adversários também não faltará em campanha. Citemos apenas dois exemplos. Em 2009, Dias, ao lado de outros parlamentares, foi acusado de se utilizar da cota de passagens para realizar diversas viagens ao exterior (escândalo da "farra das passagens"). Outra questão delicada diz respeito às suas antigas relações com o doleiro Alberto Youssef. Esse último afirma ter sido o responsável pelo fretamento de jatinho para o senador durante a campanha de 1998. Tema no mínimo delicado.

Enfim, Álvaro Dias e o Podemos terão inúmeros desafios e obstáculos pela frente. Escasso tempo de rádio e televisão, pouco dinheiro em caixa e um programa sem grandes novidades para o eleitor farão parte do dia a dia da campanha. Ao final, para o Podemos, a candidatura Dias pode significar o salto de uma legenda de pequeno para médio porte. Seria uma vitória, sem dúvida.


Tite cai na comemoração do gol de Philipe Coutinho e vira meme na internet
AO VIVO - II Congresso de Direito Eleitoral de Brasília
veja +
Bolsa Família atende 74.122 famílias do Distrito Federal em junho
Distrito Federal recebe R$ 28 milhões do salário-educação de maio
Aprovada reserva de vagas em universidades públicas para alunos bolsistas de escolas beneficentes
veja +