O que é a criptomoeda bitcoin

autor Misto Brasília

Postado em 01/12/2017 11:47:01 - 11:40:00


Uma unidade de bitcoin chega a valer US$ 9,8 mil/Arquivo/TheSun

São análogos às moedas de ouro, mas seu problema é falta de ''inclusão financeira''

Um antigo ditado em inglês diz: "Se se parece com um pato, se move como um pato e grasna como um pato, então provavelmente é um pato." De forma analógica, observando o gráfico de valorização do bitcoin – uma moeda virtual que usa a tecnologia ponto-a-ponto em sua rede de operações – vê-se todos os indícios de que ela se parece, se move e "grasna" como uma bolha especulativa.

O bitcoin é a mais conhecida das dezenas de criptomoedas que surgiram como cogumelos depois da chuva nos últimos anos. Basicamente, bitcoins são moedas digitais criptografadas, criadas de forma gradual e descentralizada por milhares de computadores que rodam complicados programas de criptografia, os quais exigem uma enorme capacidade de processamento e muita eletricidade.  

No início de 2017, uma unidade custava em torno de US$ 1 mil, dólares. Passados quase 11 meses, essa mesma unidade chegou a atingir a marca dos US$ 11 mil na quarta-feira (29). Um dia depois, valia cerca de US$ 9.800.

Nicholas Perrin é um estrategista e analista de sistemas da Holochain, uma empresa de especialistas em software que tenta desenvolver uma tecnologia rival à blockchain, que está por trás do bitcoin, explica que por causa do seu design, o sistema bitcoin não é apropriado para nada além da especulação financeira.

O processo de criação de bitcoins, chamado de "mineração", foi deliberadamente desenvolvido para ser difícil, caro e lento, de forma que leve mais de um século para que o último bitcoin seja gerado, por volta do ano 2140. A fim de tornar os bitcoins escassos e, consequentemente, potencialmente valiosos, os criadores do software, o blockchain, impuseram um limite fixo ao número total de unidades da moeda virtual que pode vir a ser criado que é de 21 milhões.

Conceitualmente, os bitcoins são, portanto, análogos às moedas de ouro. E como o ouro é um metal raro e extraído por meio de processos de mineração difíceis e onerosos, o processo computacional difícil e oneroso usado para criar bitcoins é chamado de mineração.

Um dos maiores problemas do sistema financeiro atual é falta de "inclusão financeira", ou seja, sua incapacidade de fazer com que as pessoas mais pobres tenham acesso a dinheiro, crédito, contas correntes, seguros e outros produtos financeiros. De acordo com um estudo de 2016 do Banco Mundial, cerca de 39% da população mundial, o que significa cerca de 2 bilhões de adultos, não têm conta em banco.

O bitcoin não é feito para os pobres, observa Perrin, porque os dois caminhos para se pode obter essa moeda virtual são inacessíveis às pessoas de baixa renda. Um deles é comprá-la através do mercado virtual, usando dinheiro de verdade. O outro é a mineração de bitcoins, que envolve uma grande quantidade de computadores especializados. (Da DW)


Guga Kuerten diz que cortar dinheiro do esporte das crianças é ato de desespero
Forró e festa junina no gabinete do vice-presidente da Câmara
veja +
Comissão aprova criação de creches para filhos de agentes de segurança pública
Especialistas sugerem contratação de mais aprendizes pelo poder público
Aplicativo Sine Fácil ajuda 2,7 desempregados no Distrito Federal
veja +