Deputado pede votação fatiada de denúncias ao STF

autor Misto Brasília

Postado em 23/10/2017 16:16:29 - 16:12:00


Foto - Misto Brasília

Rubens Júnior (PCdoB-MA) sustenta que mandado questiona o rito que prevê uma votação

O deputado Rubens Júnior (PCdoB-MA) afirmou que entrará ainda nesta segunda-feira (23) com mandado de segurança no Supremo Tribunal Federal (STF) para pedir a votação separada na Câmara das denúncias da Procuradoria-Geral da República (PGR) contra o presidente Michel Temer e os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria-Geral da Presidência). A votação em plenário da Casa foi agendada para quarta-feira (25).

Rubens Júnior quer votação separada das acusações. “A primeira acusação é de que Temer é líder da organização criminosa. A segunda, de que Eliseu Padilha é membro dessa organização. A terceira, de que Moreira Franco também é membro. A quarta acusação é de que Temer obstruiu Justiça”, explicou ao Estadão online.

Na visão do parlamentar da oposição, o mandado questiona o rito da votação estabelecido pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que prevê uma só votação.

Vale lembrar que o presidente da República e os ministros foram denunciados pela PGR por organização criminosa. Além disso, Temer também foi denunciado sozinho por obstrução de Justiça. O STF ao enviar a denúncia para análise da Câmara, não promoveu o desmembramento.

A oposição e membros do chamado Centrão (base aliada) postularam a votação em separado da peça acusatória. Mas o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) negou. Assim como o presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), deputado Rodrigo Pacheco (PMDB-MG). O colegiado foi o primeiro local da Casa em que a denúncia foi analisada. Na semana passada, a comissão aprovou por 39 votos a 26 parecer pela rejeição da denúncia.


Guga Kuerten diz que cortar dinheiro do esporte das crianças é ato de desespero
Forró e festa junina no gabinete do vice-presidente da Câmara
veja +
Comissão aprova criação de creches para filhos de agentes de segurança pública
Especialistas sugerem contratação de mais aprendizes pelo poder público
Aplicativo Sine Fácil ajuda 2,7 desempregados no Distrito Federal
veja +