Na mosca - um caso de polícia

autor Misto Brasília

Postado em 13/10/2017 09:05:18 - 08:58:00


Depois de Nuzman é preciso voltar os olhos para o Ministério do Esporte/Arquivo

É preciso se voltar para um elefante branco da administração pública: o Ministério do Esporte

Texto de José Cruz 

O novo presidente do Comitê Olímpico do Brasil, Paulo Wandereley, é ex-judoca. Sabe muito bem sobre a “ditadura dos cartolas”. Agora, no poder maior, que divida a responsabildiade do voto com os atletas. Paridade com todos os eleitores, antes de tudo. Nada de pesos diferentes.

Nuzman renunciou. Depois do ouro, vem processos com chumbo grosso por aí. Tanto da administração esportiva, do dinheiro que ele foi o gestor, quanto da Polícia. Internacional, inclusive. Numa das conversas com Bebeto de Freitas, há dois ou três anos, ele me dizia: “O Nuzman é caso de Polícia”. Bah! Na mosca!

Agora, é preciso se voltar para um elefante branco da administração pública: o Ministério do Esporte. Continuará sendo cabide de emprego do PMDB (foi do PcdoB por 13 anos!!) e saco sem fundo de gastança, num momento em que falta dinheiro para tudo?

E a Polícia Federal não fará uma ação madrugadora por lá? Não vai recolher computadores e documentos do tempo de Agnelo, Orlando, George Hilton, Ricardo Leyser, principalmente esses?

Finalmente: O momento é oportuno para aquela reflexão que sugeri há quatro anos:

“Pra que serve o Ministério do Esporte”.


Rollemberg diz que não há decisão sobre ampliação do racionamento
Mensagem emocionante de quem construiu o Congresso
veja +
Parlamentares defendem ações e investimentos para a primeira infância
Para Perondi, governo enfrenta poderoso nicho de fiscais e Ministério Público do Trabalho
Eunício explica porque não leu o Projeto de Decreto do Trabalho Escravo
veja +