Um breve olhar sobre a conjuntura

autor André Pereira Cesar

Postado em 08/06/2017 16:22:35 - 16:19:00


Ministro Gilmar Mendes que encontrou um adversário à altura no TSE/Arquivo/STF

O embate entre Hermann Benjamin e Gilmar Mendes entrou para a história do TSE que está dividido

* O evento mais relevante é o julgamento do processo de cassação da chapa Dilma-Temer pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O relator, ministro Herman Benjamin, mostra-se duro e direto em suas colocações e posições. O contraponto a ele foi dado pelo presidente da Corte Eleitoral, ministro Gilmar Mendes, que tentou a todo momento desqualificar as teses do relator. O embate entre os dois já entrou para a história do Tribunal e mostra que o colegiado está dividido. O quadro terá reflexos sobre o Supremo Tribunal Federal (STF).

* Mesmo com a vitória no TSE, a situação do governo Temer seguirá crítica. A "dinâmica do fato novo" ainda impera e novas denúncias deverão enfraquecer ainda mais o presidente.

*Dois fatos de relevo marcaram a semana. A Polícia Federal prendeu mais um homem próximo a Temer, o ex-ministro Henrique Eduardo Alves. Além disso, a confirmação de que Temer voou em jatinho da JBS é vista como um elemento capaz de isolar ainda mais o presidente.

*No âmbito da aliança governista, as atenções estão voltadas para o PSDB, que se reunirá na próxima segunda-feira para decidir se continua ou não na base. Há grande pressão, especialmente entre os deputados federais do partido, pelo desembarque. O partido é o fiador da governabilidade e sua eventual saída certamente será acompanhada por outras agremiações.

*Enquanto isso, segue a paralisia decisória no Congresso Nacional. A Câmara dos Deputados vem produzindo pouco. No Senado Federal, nem mesmo a aprovação da reforma trabalhista na Comissão de Assuntos Econômicos serviu de alento. O quadro geral é ruim e assim seguirá ao menos a curto e médio prazos.


Caiado quer acabar com o horário político de rádio e televisão
Duarte Nogueira diz que aeroporto de Ribeirão Preto será reformado
veja +
Marco Aurélio diz ser necessário observar a legislação pátria
Pagar ou não pagar universidade pública, eis a questão
Eunício adia sessão do Congresso para votação da reforma política
veja +