O fator Palocci para 2018

autor Gilmar Correa

Postado em 13/05/2017 08:57:52 - 08:52:00


Palocci tem muito para falar em delação premiada/Arquivo/Divulgação

Delação do ex-ministro, se confirmada, vai acabar com muitos planos, inclusive de Lula da Silva

Ex-ministro de governos petistas, Antonio Palocci, começa a dar sinais de que vai delatar o esquema de propina que tomou conta dos governos Lula da Silva e Dilma Rousseff. Caso isso aconteça, será a pá de cal nas pretensões do ex-presidente de concorrer nas eleições de 2018.

Lula da Silva quer voltar à Presidência por qualquer preço, mas a conta está alta demais. Em 2014 ele já queria se candidatar, mas pelo que disse Mônica Santana, a própria Dilma Rousseff barrou suas pretensões numa briga que começa a ser revelada.

Se ele falar, vai pro espaço o projeto político de muita gente, não só de Lula da Silva. É por isso que qualquer previsão sobre as eleições do próximo ano terá sido mero devaneio. O que se imagina, é que os eleitores devem provocar muitas surpresas.

Palocci sabe das coisas. Foi o principal operador nos esquemas desde a primeira eleição de Lula da Silva e continuou a ser o “principal homem” nas campanhas presidenciais seguintes, assim como em outras eleições de menor envergadura.

O ex-ministro decidiu trocar a banca de advocacia liderada pelo criminalista José Roberto Batochio por quatro advogados de um escritório de Curitiba especializado em fechar acordos de delação premiada.  Fontes que acompanham o caso consideram que um acerto para se fechar a colaboração ainda deva demorar.

Batochio acompanhava casos criminais ligados a Palocci havia mais de uma década, mas também defende o ex-presidente Lula da Silva e o ex-ministro Guido Mantega em ações da Lava Jato. 

A declaração feita por Palocci no mês passado ao juiz Sérgio Moro, de que estaria disposto a falar sobre fatos com nomes e endereços de interesse da Lava Jato, acendeu o temor entre os petistas de que uma eventual delação dele possa atrapalhar os planos do partido de tentar se reerguer após o abalo dos escândalos de corrupção e do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, conforme reportagem da Reuters de três semanas atrás.


Guga Kuerten diz que cortar dinheiro do esporte das crianças é ato de desespero
Forró e festa junina no gabinete do vice-presidente da Câmara
veja +
Comissão aprova criação de creches para filhos de agentes de segurança pública
Especialistas sugerem contratação de mais aprendizes pelo poder público
Aplicativo Sine Fácil ajuda 2,7 desempregados no Distrito Federal
veja +