Médicos da máfia das próteses continuam presos

autor Misto Brasília

Postado em 20/03/2017 18:28:47 - 18:19:00


Rogério Damasceno quando era detido pela Polícia Civil/Arquivo

Ministro do Supremo Tribunal, Luiz Fux, negou pedido de habeas corpus para a liberdade

Os médicos Antonio Márcio Catingueiro Cruz e Johnny Wesley Gonçalves Martins tiveram negado o habeas corpus no Supremo Tribunal Federal. A decisão ratifica o que o Superior Tribunal de Justiça já tinha de definido na questão que envolve a participação dos dois na máfia das próteses do Distrito Federal.

Eles foram presos preventivamente no dia 1º. de setembro de 2016, depois que o Ministério Público do Distrito Federal denunciou os médicos por associação criminosa, porque fizeram cirurgias indevidas, “implantando próteses e órteses desnecessárias e/ou com material vencido ou de segunda categoria, em detrimento de pacientes e planos de saúde”.

O ministro Luiz Fux apontou que qualquer antecipação do Supremo sobre o mérito dos HCs implicaria indevida supressão de instância, “devendo aguardar-se o fim da tramitação dos pedidos no STJ para, se for o caso, interpor-se o recurso cabível”.


Vídeo alerta para as desigualdades e convida para a reforma solidária
Sindicatos de fiscais de tributos preparam proposta para reforma tributária
veja +
Relatório da MP da privatização da Eletrobras será votado dia 8 de maio
Placas do Mercosul serão obrigatórias apenas para veículos novos e transferidos
Câmara analisa limites da legítima defesa
veja +