Fast food nation à brasileira?

autor André Pereira Cesar

Postado em 20/03/2017 09:44:39 - 09:35:00


Hamburger preparado para consumo com carne brasileira/Arquivo/Divulgação

As investigações devem prosseguir com seriedade e o embate ideológico é cortina de fumaça

No início da década passada, o jornalista Eric Schlosser publicou "Fast food nation" ("Nação fast food", Companhia das Letras, fora de catálogo). Na obra, o autor realiza uma exaustiva pesquisa sobre a produção de comida industrializada nos Estados Unidos, tendo como base a região do Colorado.

Schlosser, entre outros pontos, examina como se dá o processo de produção da carne, do abatedouro ao consumidor final; fala das degradantes condições de trabalho dos funcionários de frigoríficos e afins; e aponta para as mudanças de sabores, cores e cheiros por intermédio de sofisticada química.

O texto é duro e, ao final, estabeleceu um novo patamar no debate norte-americano sobre alimentação, saúde pública, segurança nacional e outros temas.

A obra de Schlosser me veio à memória tão logo recebi as primeiras informações acerca da Operação Carne Fraca da Polícia Federal, na última sexta-feira. Há algo em comum? Qual o debate e quais as consequências do aqui ocorrido?

Na verdade, salta aos olhos, de imediato, uma elevadíssima politização do processo iniciado semana passada. O embate, novamente, se dá entre esquerda e direita, e está completamente equivocado. Ele apenas torna mais tenso o já esgarçado ambiente político.

Em primeiro lugar, houve certo espalhafato sim, por parte da PF, que explorou com sucesso a mídia para divulgar a ação. No calor dos acontecimentos, foram misturados alhos e bugalhos, fatos distintos foram postos como se fossem uma coisa só, o que embaralhou o entendimento da opinião pública. A operação fica "menor" diante disso.

Por outro lado, a ação foi trabalhada por dois anos e, sim, há irregularidades no setor. Chama a atenção que, no caso das gigantes ("campeãs nacionais" no jargão do governo passado) houve corrupção praticada junto a servidores do Ministério da Agricultura. Um outro frigorífico teve sim problemas com a qualidade de sua carne.

Em suma, as investigações devem prosseguir com seriedade. O embate ideológico, nesse caso e nesse momento, apenas joga cortinas de fumaça que podem interessar aos verdadeiros culpados. Não sejamos inocentes úteis.

Nos Estados Unidos, o trabalho de Schlosser ajudou a mudar certas políticas de um setor crucial para a sociedade. A Carne Fraca, aqui, poderá fazer algo similar. Basta seriedade no processo investigatório e acompanhamento com lupa por parte da sociedade, a maior interessada.

 


O brasileiro é criativo - Despacito no ritmo e versão do vendedor de bom bom
Deputado ataca Ciro e classifica o pré-candidato de racista e caloteiro
veja +
Aprovada reserva de vagas em universidades públicas para alunos bolsistas de escolas beneficentes
CCJ aprova doação de blindados do Exército brasileiro ao Uruguai
Projetos culturais do Distrito Federal recebem recursos
veja +