Notas sobre a sucessão no Congresso Nacional

autor André Pereira Cesar

Postado em 16/01/2017 11:34:33 - 11:31:00


Eleições para as Mesas do Senado e Câmara ocorrem no início de fevereiro/Arquivo/Divulgação

As eleições no Senado e Câmara esquenta, mas é na Câmara Baixa que o clima é mais intenso

Faltando poucos dias para as eleições das novas Mesas Diretoras da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, é importante avaliar o quadro geral do processo em curso.

(1) Na Câmara dos Deputados, são seis os pré-candidatos até o momento. Entre os governistas, colocam-se para a disputa o atual titular do cargo, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e os deputados Jovair Arantes (PTB-GO) e Rogério Rosso (PSD-DF). Na raia da oposição corre o deputado André Figueiredo (PDT-CE).

(2) No Senado Federal, o único candidato, até o momento, é o senador Eunício Oliveira (PMDB-CE). Falou-se no nome de Raimundo Lira (PMDB-PB), mas este não prosperou.

(3) Na Câmara, a candidatura de Maia é, em tese, a mais forte. Ele conta com o apoio discreto do Planalto e de partidos como o PSDB, o DEM e parcela do PMDB. Mesmo no PT há parlamentares que defendem a recondução de Maia. Contra ele, porém, está a legislação. Pelas regras regimentais, o presidente da Casa não pode ser reeleito na mesma legislatura. Caso vença, Rodrigo Maia pode ver seu caso acabar no Supremo Tribunal Federal.

(4) A candidatura de Jovair Arantes conta com o apoio de parcela expressiva do Centrão e do chamado "baixo clero". Parlamentar experiente e de trânsito fácil tanto no governo quanto na oposição, Arantes, líder da bancada do PTB, é nome que não pode ser desprezado na disputa. Em caso de derrota, ao Planalto restará algum tipo de compensação a ele. Do contrário, a agenda governista correrá riscos.

(5) O caso de Rosso é mais complicado. Sem o apoio integral de seu partido, o deputado precisa fazer um corpo a corpo mais agressivo. Sua pré-candidatura tem poucas chances de chegar ao dia da disputa, 2 de fevereiro.

(6) Ex-ministro das Comunicações de Dilma Rousseff, André Figueiredo lançou seu nome apenas para marcar posição. A candidatura do pedetista divide até mesmo o PT, principal partido da oposição.

(7) No Senado, Eunício Oliveira é o franco favorito. Na verdade, a grande questão é sobre qual será o destino do atual titular do cargo, Renan Calheiros (PMDB-AL). Ele pode optar pela liderança da bancada peemedebista ou assumir a presidência da poderosa Comissão de Constituição e Justiça. Um ministério também não está descartado.

(8) Após a definição dos integrantes das Mesas das duas Casas, serão decididos os nomes dos presidentes e vice-presidentes das comissões permanentes. A eles compete estabelecer a agenda de trabalhos do Congresso, em cada área e setor. A definição desses nomes é tão importante quanto a dos integrantes das Mesas Diretoras.


O brasileiro é criativo - Despacito no ritmo e versão do vendedor de bom bom
Deputado ataca Ciro e classifica o pré-candidato de racista e caloteiro
veja +
Aprovada reserva de vagas em universidades públicas para alunos bolsistas de escolas beneficentes
CCJ aprova doação de blindados do Exército brasileiro ao Uruguai
Projetos culturais do Distrito Federal recebem recursos
veja +