Nosso lixo, nossa responsabilidade!

autor Vitória Colvara

Postado em 28/11/2016 11:18:02 - 11:09:00


Cerca de duas mil famílias tiram o sustento no Lixão da Estrutural/Arquivo

A primeira associação com o lixo é de nojo; a simples separação economiza muito tempo dos catadores

A cada 24 horas, o Brasil produz 240 mil toneladas de lixo. E o grande problema de toda essa produção é, sobretudo, a falta de noção. Sim, o poder público tem infinitas obrigações a cumprir, somos um país extremamente paternalista e ao que tudo indica, nós gostamos disso. Gostamos de ter a quem culpar quando tudo vai mal, principalmente se esse alguém é uma figura inominada como “O Estado” do qual falamos como se não fizéssemos parte.

Mas a verdade é que não precisamos do governo para reduzir o nosso consumo diário. Para deixar de comprar o que seja supérfluo. Para avaliar a real necessidade daquele produto em nossas vidas. Também não precisamos do estado para separar o nosso próprio lixo. E com toda certeza, não será um funcionário da SLU, o responsável por reutilizar nossas garrafas de vidro. A quantidade de sacolas plásticas que utilizamos em cada comprinha básica também não é responsabilidade de nenhum gestor público.

O que eu quero dizer é que antes de admirarmos países como a Suécia, cujo aproveitamento de resíduos é total, devemos nos comportar de maneira minimamente consciente. A nossa primeira associação com o lixo é de nojo, e sequer nos damos conta de que existem milhares de pessoas no nosso país que vivem em lixões a céu aberto catando os materiais recicláveis que jogamos fora junto com os restos de comida e com os eletrônicos.

Independentemente da SLU fazer coleta seletiva no seu bairro, independentemente do seu prédio ter separação de lixo, você tem a obrigação, sim, de fazer a sua parte. Mesmo que tudo seja misturado e jogado nos lixões, a simples separação que não nos toma tempo nenhum, já economiza muito tempo dos catadores.

Catadores estes que foram protagonistas de um filme brasileiro, dirigido por Tânia Quaresma, e ganhador de três prêmios no festival de cinema de Brasília que aconteceu em setembro. Catadores de histórias foi eleito o melhor filme, com a melhor fotografia e melhor trilha sonora.

A responsabilidade de proteger o meio ambiente e de tornar as cidades cada vez mais sustentáveis, também é nossa enquanto cidadãos conscientes. Portanto, comece hoje. Separe o seu lixo minimamente entre seco e molhado, até que isso se torne um hábito e sua separação seja cada vez mais seletiva.

 


Rollemberg diz que não há decisão sobre ampliação do racionamento
Mensagem emocionante de quem construiu o Congresso
veja +
Parlamentares defendem ações e investimentos para a primeira infância
Para Perondi, governo enfrenta poderoso nicho de fiscais e Ministério Público do Trabalho
Eunício explica porque não leu o Projeto de Decreto do Trabalho Escravo
veja +