Água pra quem?

autor Vitória Colvara

Postado em 09/11/2016 09:58:52 - 09:54:00


Barragem do rio Descoberto continua com reserva de água muito baixa/Arquivo/Agência Brasilia

A decisão parece ser sempre aquela que mais prejudica o cidadão comum e o trabalhador

Pelo terceiro ano consecutivo, eis que ressurge o racionamento de água no Distrito Federal. Previsto para começar essa semana, irá atingir pelo menos 85% das pessoas.

Engraçado é que o desperdício de água tem muito pouco a ver com o consumo pessoal da mesma. Os reservatórios não secam porque demoramos no banho ou porque escovamos os dentes muitas vezes ao dia. Assim como também não é nossa culpa a falta de gestão pública diante de todas as previsões meteorológicas sobre a iminente escassez.

Acontece que para os donos da água no nosso país, a melhor alternativa parece ser sempre aquela que mais prejudica o cidadão comum e trabalhador. Isso não acontece só com a água, acontece também com as repetidas tragédias ambientais ocorridas nos períodos de chuva e que levantam forte comoção social para realização de doações e pouca ação reparatória e preventiva do dano.

O Brasil possui mais de 12% das reservas de toda a água doce do mundo. No entanto, por aqui ela é disponibilizada gratuitamente por meio de outorga de recursos hídricos na seguinte proporção: 72% para o agronegócio; 22% para as indústrias e PASMEM: apenas 6% para o consumo residencial. Ou seja, apesar de não contribuirmos para o desperdício de água e esvaziamento dos reservatórios, somos nós que arcamos com o ônus dessa exploração desenfreada.

Agora vão jorrar, literalmente, campanhas na internet e na televisão pedindo para economizarmos água enquanto mais de 40 milhões de brasileiros sequer tem acesso a esse bem tão precioso. Se o objetivo é racionar água, talvez o problema esteja no nosso prato, não no nosso banheiro. É necessário refletir.


Guga Kuerten diz que cortar dinheiro do esporte das crianças é ato de desespero
Forró e festa junina no gabinete do vice-presidente da Câmara
veja +
Comissão aprova criação de creches para filhos de agentes de segurança pública
Especialistas sugerem contratação de mais aprendizes pelo poder público
Aplicativo Sine Fácil ajuda 2,7 desempregados no Distrito Federal
veja +