Breves notas sobre a conjuntura política

autor André Pereira Cesar

Postado em 03/11/2016 10:11:56 - 10:10:00


Operação Lava Jato provoca arrepios na classe política/Arquivo

Entre oito tópicos apontados, destaque para votação da PEC dos gastos no Senado Federal

Eleições municipais – encerrado o ciclo eleitoral de 2016, um novo mapa político está desenhado no país. O PSDB foi o grande vencedor – o partido comandará 34,4% da população brasileira a partir do próximo ano – e o PT, o principal derrotado. As eleições municipais são importantes para a composição de forças na sucessão presidencial.

PEC do teto dos gastos públicos – a proposição, já aprovada pela Câmara dos Deputados, está na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado Federal. O relator, senador Eunício Oliveira (PMDB-CE), apresentou seu parecer com conteúdo idêntico ao aprovado pelos deputados. A CCJ deverá votar a PEC na próxima quarta-feira, 9 de novembro. O cronograma estabelecido pela Casa prevê a promulgação da matéria até o dia 15 de dezembro. A PEC do teto dos gastos públicos é a principal proposição do governo Temer em tramitação no Congresso Nacional.      

Repatriação – foi encerrado na segunda-feira, 31 de outubro, o prazo para que pessoas físicas e empresas com recursos no exterior quitassem suas pendências com o Fisco, com desconto. A Receita Federal informou que arrecadou R$ 50,9 bilhões em impostos e multas com a chamada Lei da Repatriação. A questão, porém, não está esgotada. O presidente do Senado, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), pretende reabrir em 2017 o prazo de repatriação. Para tal, ele buscará o apoio do presidente Michel Temer e das lideranças partidárias do Senado.

Dívidas dos estados – a Caixa Econômica Federal participará da oferta de uma linha de refinanciamento para as dívidas dos estados. Em paralelo, o tema segue em discussão no Senado Federal. O relator da matéria, senador Armando Monteiro Neto (PTB-PE), está ouvindo governadores, secretários de estados e economistas antes de concluir seu parecer. Governadores das regiões Norte e Nordeste pressionam o Planalto por mais recursos para equacionar suas combalidas finanças.

Renan Calheiros e o Supremo Tribunal Federal – está previsto para esta quinta-feira, 3 de novembro, o julgamento  da Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 402, que questiona a constitucionalidade do exercício dos cargos que estão na linha de substituição da presidência da República por pessoas que sejam réus perante o Supremo Tribunal Federal (STF).

A medida poderá afetar diretamente o presidente do Senado Federal, Renan Calheiros, que é alvo de onze investigações tramitando no Supremo Tribunal Federal. O Planalto, satisfeito com o empenho de Calheiros no processo de discussão do ajuste fiscal na Casa, trabalha discretamente a favor do parlamentar. Não está descartada a hipótese de algum ministro pedir vistas e, assim, adiar a conclusão do julgamento.

Operação Lava Jato e delações – a delação premiada acordada entre o Ministério Público Federal e executivos da Odebrecht continua a mexer com os ânimos de políticos em Brasília e nos estados. O surgimento do nome do ministro das Relações Exteriores José Serra em uma das denúncias abre um novo flanco de investigações. Além do PT, o PSDB e o PMDB podem ser alvos importantes dessa nova etapa do processo investigatório.

Eleições presidenciais norte-americanas – na próxima terça-feira, 8 de novembro, os eleitores norte-americanos irão às urnas para escolher seu novo presidente. A democrata Hillary Clinton contava com confortável vantagem nas pesquisas de opinião pública. No entanto, a reabertura de investigação, pelo FBI, sobre o uso indevido de e-mails quando a candidata era secretária de Estado recolocou o republicano Donald Trump na disputa. A definição do novo presidente dos Estados Unidos da América terá grande impacto sobre todo o planeta, inclusive sobre o Brasil.


Guga Kuerten diz que cortar dinheiro do esporte das crianças é ato de desespero
Forró e festa junina no gabinete do vice-presidente da Câmara
veja +
Comissão aprova criação de creches para filhos de agentes de segurança pública
Especialistas sugerem contratação de mais aprendizes pelo poder público
Aplicativo Sine Fácil ajuda 2,7 desempregados no Distrito Federal
veja +