Aos jovens

autor Maya Félix

Postado em 25/10/2016 20:16:26 - 19:57:00


Conhecer a realidade ajuda a formar a formação política/Arquivo/Locamerica

Veja a situação do Brasil, e o que o PT fez à Economia do país nesses últimos anos

Você já LEU? Não estou perguntando se alguém já DISSE pra você o que é. Estou perguntando se você já LEU. Vejo estudantes serem manipulados por professores de esquerda, os de sempre, sem nem mesmo saberem o que significa a sigla “PEC”. PEC é Proposta de Emenda à Constituição, e esta que tem sido tão mal vista, neste melancólico final do ano de 2016, é a de número 241.

Ela propõe um teto de gastos do orçamento público, incluindo Saúde e Educação, por um período de 20 anos, o que pode ser revisto dentro de 10 anos, além de outras medidas. Ah, não é preciso ter limite? E desde quando a Educação melhorou, no Governo do PT, que desconhece a palavra “limite”, quando se fala de gasto com o dinheiro do pagador de impostos? Será que o problema da falência da Educação Pública no Brasil é tão somente uma questão de “gastos”? Não seria, talvez, mais um problema de gestão e de qualidade? Pense nisso.

Está certo, vou deixar você ler. Informe-se. Deixe de ser um inocente útil e vá ler o texto. Veja a situação do Brasil, e o que o PT fez à Economia do país nesses últimos 14 anos. Faça, se possível, um comparativo com o Chile, o Uruguai e o Paraguai. Veja como era nossa dívida pública e como está hoje, e quais são as consequências.

Veja como era a Petrobras e como eram os Correios e como estão hoje. É claro, precisamos de mais reformas, na Previdência, no sistema tributário. Ah, o PT não as fez? O PC do B não as fez? O PDT não as fez? O PSOL não as fez? A esquerda passou os últimos 14 anos no poder e não as fez? Por quê? E NÃO, DEFINITIVAMENTE a PEC 241 não é uma Reforma do Ensino! Vá ler!

A verdade é que a Educação pública está uma bela porcaria, e o PT diz que fez altos investimentos. Nunca se falou tanto em Paulo Freire, e haja prédios com o nome desse senhor, haja Pedagogia do Oprimido, e o que se vê é estudante que mal sabe escrever o nome entrando em universidade pública. Investir para que continue assim? E as fraudes nos sistemas de cotas? Quer coisa mais imbecil? Sem falar que o próprio sistema de cotas, em si mesmo, desmerece os negros, tratando-os por incapazes, não importando sua condição financeira e social.

E a formação de professores, sobretudo os das áreas de Humanas, que já saem das universidades públicas com bandeiras vermelhas e o Manifesto Comunista debaixo do braço? É claro, não recebem formação, nas universidades financiadas com o dinheiro do pagador de impostos: recebem doutrinação político-ideológica. Obviamente, tinha que dar no “Nóis pega o peixe”.

Vamos ligando os pontos e acabamos chegando ao professor da UnB que queria degolar seus adversários políticos, os “reacionários rodrigueanos”. Esse mestre (não, ele é doutor) não por acaso é o sociolinguista inspirador do que muita gente tem dito por aí, inclusive nas ocupações de escolas Brasil afora.

Afinal, o importante não é aprender as regras de uma norma culta padrão, mas usar qualquer padrão que se erija como funcional de uma comunidade de fala que deve lutar contra o “preconceito linguístico” das “elites”, que tramam contra os “oprimidos” etc. etc. etc.... Viram aí alguma divisão? Sim, a divisão de classes! A luta de classes! É esse o paradigma. É esse o axioma das teorias de Humanas hoje, em todas as universidades. Todas. Você quer financiar isso?

Também já fui doutrinada e tinha menos de dezoito, estava no Ensino Médio (antigo Segundo Grau) e assim continuei a vida, até abrir os olhos um dia e perceber que havia um “outro lado”, e que o pensamento de esquerda não era tão natural quanto respirar.

Mas foi preciso estranhar o paradigma, primeiro, aceitando que havia algo de errado com aquele pensamento que tornava tudo e todos, inclusive a igreja, a família, a língua portuguesa, a pátria e as amizades, “más”, “burguesas” e mantenedoras das “injustiças sociais”.

Mas pergunte ao professor que deseja degolar seus opositores políticos que tipo de “língua” ele usa em seus livros, palestras e artigos, ou mesmo em seu perfil na rede social. Pergunte ao líder do partido vermelho como é sua casa. Veja se o professor que fala mal da família como instituição burguesa não tem a sua, com tudo bem burguês estabelecido. Por isso digo que fui uma idiota útil, assim como todos os adolescentes, estudantes, universitários, que não passam de joguetes nas mãos dos que sabem manipular as palavras.

Morreu um estudante numa escola ocupada, no Paraná. Para esses professores, de algum sindicato, não é NADA. Para o PC do B e a UNE, não é NADA, apenas “danos colaterais” na luta pela “Revolução socialista”. Para o PT, é SÓ a consequência da reorganização da base de juventude, destruída com a falta de credibilidade do partido. NINGUÉM vai se responsabilizar. Mas vá até a mãe do rapaz, e veja como ela está.

Adolescente e jovem universitário têm muitos hormônios sendo ainda produzidos, por isso acham que sabem tudo. Em geral, têm o cérebro poroso. Por isso, são manipuláveis. Mas você, amigo, pense com a sua cabeça. Estranhe. Não aceite que esses babacas da esquerda, perdidos na URSS do início do século passado, atolados no atraso, digam a você como pensar, o que dizer, como agir, que camisa do Che Guevara vestir, que comportamento assumir, que paradigmas ter.


Rollemberg diz que não há decisão sobre ampliação do racionamento
Mensagem emocionante de quem construiu o Congresso
veja +
Parlamentares defendem ações e investimentos para a primeira infância
Para Perondi, governo enfrenta poderoso nicho de fiscais e Ministério Público do Trabalho
Eunício explica porque não leu o Projeto de Decreto do Trabalho Escravo
veja +