Distritais fazem boicote com cheiro de chantagem

autor Gilmar Correa

Postado em 26/09/2016 17:53:40 - 17:44:00


Plenário da Câmara Legislativa do Distrito Federal/Arquivo/Divulgação

Muito já se discutiu sobre a necessidade de funcionamento da CLDF que vive eternas denúncias

Os deputados distritais arrumaram mais um jeito de não trabalhar. Se a produção já era pouca, o que faz muita gente pensar sobre a utilidade da Câmara Legislativa do Distrito Federal, agora, os parlamentares decidiram fazer boicote.

Dizem que o protesto é contra o governador Rodrigo Rollemberg (PSB), mas vai prejudicar a população do Distrito Federal de quase 3 milhões de habitantes.

A razão seria a demolição de casas em currais eleitorais dos distritais pela Agência de Fiscalização do Distrito Federal.

Vão trancar a pauta para forçar a suspensão da derrubada de habitações em áreas invadidas. Aqui não é o caso de criticar os moradores/ocupantes/invasores, mas a decisão dos deputados. O justo seria, então, enquanto durar o boicote, que devolvam os salários pelos dias não-trabalhados.

A coação cheira a chantagem das piores e tem como mentores, segundo a imprensa local, os deputados distritais Rafael Prudente (PMDB) e Telma Rufino (sem partido).

Pelo menos 10 distritais prometeram participar do trancamento da pauta de votações até que o Governo do Distrito Federal retome o diálogo com a comunidade dessas regiões irregulares.

E o cheiro tem motivos políticos-eleitorais. Certamente, não está em jogo questões relacionadas à população, mas esvaziar e enfraquecer o governador para as próximas eleições. E aqui não se discute a capacidade de Rollemberg de governar. Ponto.

As derrubadas de casas em áreas irregulares, como lembra o Correio Braziliense, onde não há possibilidades de legalização das ocupações com base na legislação urbanística atual, é uma das diretrizes do governo.

Como se sabe, a Câmara Legislativa é um poço de denúncias. Agora, vira um exemplo de ilegalidade.


Rollemberg diz que não há decisão sobre ampliação do racionamento
Mensagem emocionante de quem construiu o Congresso
veja +
Parlamentares defendem ações e investimentos para a primeira infância
Para Perondi, governo enfrenta poderoso nicho de fiscais e Ministério Público do Trabalho
Eunício explica porque não leu o Projeto de Decreto do Trabalho Escravo
veja +